quinta-feira, 30 de abril de 2015

Rápido e Rasteiro

Imagem da Internet
Sandra Faraj quer "escolas sem partidos"

O Sindicato dos Professores do DF divulgou um manifesto em que repudia o projeto Escola sem Partido, em tramitação na Câmara Legislativa. Para o Sinpro, a proposta "censura" o trabalho do educador. Para o sindicato, a liberdade de cátedra é um direito garantido ao professor na Constituição. A deputada Sandra Faraj (SD), autora do projeto ao lado do deputado Rodrigo Delmasso (PTN), rebate os ataques no "Rápido e Rasteiro" desta semana.


BLOG: O projeto Escola sem Partido censura o trabalho do professor?
Sandra Faraj: De forma alguma. Ele apenas dá garantias de preceitos constitucionais. Como o Artigo 206, que trata do direito a “liberdade de aprender”. Ou o artigo 205, que diz que “a educação é direito de todos e dever do Estado e das famílias”. Hoje, temos alguns professores que se utilizam da sua condição para doutrinar estudantes com determinadas correntes político-partidárias e ideológicas. Estamos trabalhando para que o aprendizado seja plural, que forme cidadãos, que discuta amplamente questões políticas, culturais, deveres civis e sociais. Que dê espaços e participação aos pais e a família. As escolas não podem ser usadas por determinados grupos para doutrinar jovens, que estão vulneráveis, não tem maturidade suficiente para se posicionar. E, as vezes, quando se posiciona é perseguido, retaliado, subjugado e até mesmo discriminado.

De onde vem a ideia do projeto? 
O projeto foi inspirado na ONG de mesmo nome, liderada pelo professor doutor Miguel Najib. Na Câmara Federal, outros parlamentares também estão lutando em favor desse projeto e contra a doutrinação político-partidária e ideológica.

E nas escolas particulares, o que fazer em relação a isso?
Nossa proposta é para toda a rede de ensino do Distrito Federal, inclusive a particular. No artigo 4º do PL, asseguramos que todos estudantes e professores, das escolas da rede pública e privada, sejam informados da lei. Inclusive, temos o apoio declarado da presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares do Brasil, Amábile Paco.

5 comentários:

  1. Ótimo trabalho deputada. Sabemos que será melhor assim que for aprovado o PL

    ResponderExcluir
  2. Sempre uma Deputada Atuante. Parabéns Deputada Sandra Faraj pela coragem de mudar o que era o costume arcaico.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns deputada Sandra Faraj pelo ótimo trabalho que está sendo realizado.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns deputada. Faça uma divulgação intensa deste projeto, pois o pessoal da esquerda vai investir na desinformação para tentar derrubá-lo.

    ResponderExcluir
  5. É preciso deixar aqui o reconhecimento a nobre Deputada pelo belo projeto.

    ResponderExcluir