quinta-feira, 21 de maio de 2015

Nem saiu do papel...

Divulgação
Projeto mostra como seria o VLT

Decisão desta semana do colegiado do Tribunal de Justiça do DF chama atenção. Um morador de Brasília alega ser "o mentor intelectual" do VLT, o Veículo Leve sobre Trilhos. Por conta disso reivindicava direito a royalties no valor de 10% do custo da obra prevista para ser feita no DF. O TJ entendeu que não há provas e que o projeto daqui é muito semelhante a outros pelo mundo. O que descaracteriza uma invenção. Dalmo Ubiratan Bonfim Santos afirma na ação contra o GDF que, no fim da década de 90, conheceu José Roberto Arruda e teria apresentado o invento. Tempos depois, quando Arruda se tornou governador, alega que foi surpreendido com a notícia da implantação do VLT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário