segunda-feira, 8 de junho de 2015

Opinião da semana

Péssimo Exemplo

A internet é democrática e corajosa, mas muitas vezes se presta a atacar pessoas ou instituições indevidamente, sob o manto da aparente inalcançabilidade. Outras vezes, entretanto, é através dela - da internet - que vemos a promoção de debates importantes para o país, às vezes "esquecidos" pela grande imprensa escrita e televisiva, receosas em sofrer eventuais represálias por mexer em verdadeiros "vespeiros" institucionais. Nessa semana circulou na rede um vídeo de verdadeira utilidade pública, considerando a atual realidade brasileira. Nele, um jovem internauta mostra trechos da entrevista de um desembargador de justiça, num programa de televisão, que, falando em nome de seus pares do Poder Judiciário, defende injustificável tratamento diferenciado para os membros daquele poder. Assim, o mencionado magistrado justifica o polêmico auxilio-moradia de mais de quatro mil reais mensais que recentemente se auto-concederam, alegando se tratar de um "aumento salarial disfarçado". E continua sua excelência, em tortuoso pensamento, afirmando que juízes "aparentemente" ganham bem, mas tem que pagar Imposto de Renda e Plano de Saúde, além de comprar ternos para usar no dia-a-dia que "nem sempre podem ser buscados em Miami". O vídeo é por vezes interrompido pelo jovem, criticando a falta de senso do desembargador ao defender, no Brasil de hoje, vantagens inexplicáveis e inadmissíveis a uma classe de servidores públicos que não se constrange ao se colocar como superiores aos demais, uma verdadeira casta. Saliente-se que junto com os juízes vêm os membros do Ministério Público, que acompanham os magistrados em todas essas inadmissíveis vantagens funcionais, e em mais uma, que não foi mencionada no vídeo: os malfadados noventa dias de descanso a que tem direito anualmente juízes e promotores de justiça, a título de férias e recessos. Ou seja, a cada três meses trabalhados, descansam um. Talvez isso ajude a explicar o porquê de estarem tão atrasados na sua prestação jurisdicional. O internauta termina colocando o dedo na ferida, dizendo que legislativo e executivo são constantemente alvos de críticas por atos de corrupção mas que está aí, para quem quiser ver, verdadeira corrupção institucional do poder judiciário. Uma péssima atitude de onde deveria vir para o país um bom exemplo. Vale a pena conferir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário