terça-feira, 18 de agosto de 2015

Notícias da política

OPINIÃO DA SEMANA

A vida é feita de lembranças, nem todas boas, é verdade, mas há fatos que marcam mais do que outros e no caso de um governo, marcam para sempre. Durante o governo Cristovam Buarque, o Massacre da Estrutural impediu que ele se reelegesse. Já na administração Agnelo Queiroz, o caos na saúde e a má gestão do governo como um todo o tiraram até do segundo turno. O atual governador começou mal. Olhando pra trás, descumprindo compromissos de campanha, parcelando salário de servidores, privilegiando fornecedores e devendo a muitos. Marcas que acabam não se apagando. Na saúde, segurança e educação, um tripé essencial pra qualquer gestão, as coisas pouco mudaram e para o cidadão comum, pioraram. Mas nada marcou mais estes quase oito meses de governo, do que o Massacre da Quadra 200 de Vicente Pires. A Agefis até poderia ser um instrumento importante de combate à ilegalidade e na defesa do patrimônio público, mas se perdeu no corporativismo e na falta de firmeza pra combater a grilagem e a invasão. Prevenção seria a palavra chave. Hoje é acusada de derrubar áreas mais pobres e se omitir-se em regiões ricas.

As críticas vieram de todos os lados. Parlamentares chegaram a pedir, em alto e bom som, a exoneração de servidores da Agência. Acuado, o governador Rollemberg respondeu, falando grosso; manteve a diretora-presidente e anunciou novas derrubadas. Pura insensibilidade. Governo que age assim tem prazo de validade antecipado. Melhor faria se tivesse anunciado a fiscalização nas ruas, de forma coordenada e controlada, para impedir a construção ilegal e buscar saídas para o que já está consolidado. A Agefis está mergulhada em descrédito e suspeição. Denúncias se multiplicam e para usar um termo da moda, está em metástase. E quando chega a este ponto, salvar o paciente pode custar a reputação de toda a equipe médica, no caso o governo. A soberba muitas vezes cega o governante e seus auxiliares; e o que mais o DF precisa é de um governo que enxergue longe e tenha compaixão.


Chá de panela
A Câmara dos Deputados vai gastar cerca de R$ 1 milhão em utensílios domésticos e móveis para os apartamentos funcionais da 302 Sul. Entre os itens, estão 144 mesas de jantar para seis lugares, 72 refrigeradores e 96 fogões.


Chá de panela 2
Já o Superior Tribunal de Justiça (STJ) ostentará coletores de bitucas de cigarro de R$ 291 cada. O STJ comprou oito acessórios deste tipo, que são de chão, móveis, em aço inox e peso de 5 kg. O custo total foi de R$ 2,3 mil. Os levantamentos são da ONG Contas Abertas, que acompanha os gastos públicos em todos os poderes.


Lupa
A Controladoria-Geral do DF está fazendo uma auditoria nas contas de 2013 da antiga Secretaria de Publicidade Institucional. Os técnicos têm até o próximo 25 para apresentar o relatório final. Estão sendo analisados os contratos com as agências de publicidade Propeg, Agnelo Pacheco, Tempo, AV e Nacional - as duas últimas atenderam o governo por um curto período do ano e saíram após homologação da nova licitação. O alvo também são os repasses feitos às empresas que prestavam serviços complementares como gráficas, estúdios de fotografia e produtoras de audiovisual.


Substituição
Marcos Woortmann, indicação do PDT, pediu exoneração do cargo de administrador do Lago Norte. No lugar dele assumiu o então chefe de gabinete Leandro Casarin Dalmas, que também responderá pela administração do Varjão. Woortmann, que também havia sido administrador regional no governo Agnelo Queiroz, deixou o cargo para participar do programa do governo norte-americano Community Solutions, que oferece uma série de treinamentos em gestão pública.


No Pé
Uma representação do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do DF questiona o desmatamento de uma área na Colônia Agrícola Aguilhada, na região de São Sebastião. O terreno pertence à antiga ProFlora - empresa pública em liquidação que tinha o papel de reflorestar áreas públicas do DF. Há indícios de que o local está sendo preparado por grileiros, com a conivência de servidores públicos, para uma nova invasão.


Baita ApoioGoiânia sediou no domingo (16) mais uma edição da Corrida do Milhão, da Stock Car. O evento recebeu R$ 100 mil em patrocínio do BRB. A marca do banco também esteve estampada em um dos carros da prova: o do piloto Lucas Foresti, neto do empresário Nenê Constantino. O valor repassado neste caso ainda não foi divulgado. Mas no ano passado o patrocínio ao piloto era de cerca de R$ 72,5 mil por mês.


Destino
O chefe do Estado Maior da PM, coronel Marco Antônio Nunes, confirmou que os postos policiais implantados no governo Arruda serão desativados. A maioria já havia sido abandonada pela gestão passada. O presidente da Comissão de Fiscalização da Câmara Legislativa, deputado Joe Valle (PDT), quer saber agora o que será feito com as estruturas dos postos. Há desde proposta de ocupação pela Secretaria de Cultura até o uso por parte de associações e prefeituras comunitárias. O assunto é tema de uma audiência pública hoje (18), às 10 horas.


Reflexão do dia
“Para combater a corrupção é preciso fortalecer o arcabouço jurídico brasileiro, preenchendo as brechas da lei no sentido de endurecer as penalidades contra os corruptos e agilizar a aplicação da Justiça, evitando medidas que apenas servem para atrasar os processos”. Adelmir Santana, presidente do Sistema Fecomércio-DF.


Para finalizar...
Desde que foi inaugurado, o novo Estádio Mané Garrincha recolheu aos cofres públicos aproximadamente R$ 6,5 milhões em taxas de ocupação. De lá para cá já consumiu R$ 18,2 milhões em despesas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário